Comunicamos que:

Neste Blog, trataremos de política local e nacional, esportes, saúde,educação e habitação, problemas sociais e vários outros temas de interesse relevantes.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Camilo diz que PMDB não se comporta como integrante da base aliada

Publicado por Junior Carvalho As segunda-feira, 9 de março de 2015  | Sem Comentarios


O PMDB faz parte da base aliada, mas muitas vezes não se comporta como tal, criticou o governador do Ceará, Camilo Santana, um dos cinco governadores eleitos pelo PT em 2014, em entrevista exclusiva ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado. Na avaliação dele, o PMDB pensa muito mais no espaço que ocupa no governo federal do que no projeto para o Brasil. Santana avaliou ainda que a crise pela qual a presidente Dilma Rousseff passa hoje é fruto de uma oposição muito mais acirrada e de uma tentativa que há de desestabilizar o governo dela.
“O PMDB faz parte da base aliada, mas muitas vezes não se comporta como base aliada. Essa é que é a grande verdade. A política é feita para que tenhamos o olhar republicano, para que olhemos para o Brasil. Mas o PMDB muitas vezes está pensando mais no espaço que ocupa do que no projeto nacional do Brasil”, disparou. Diante de uma oposição mais acirrada e de uma base menos fiel, o governador cearense defende que é preciso fortalecer os partidos “que realmente estão em defesa do governo Dilma”, como PDT e o PROS.
Para Santana , a proposta de unir alguns partidos da base em frente ampla que está sendo discutida pelo ministro das Cidades e presidente licenciado do PSD, Gilberto Kassab, e pelo ministro da Educação, Cid Gomes (PROS), seria uma forma importante de fortalecer essa base. Ele, no entanto, se diz contra a criação de um novo partido, como o PL que Kassab tenta criar para fundir o PROS e o PSD. “Só conseguiremos superar o que vivemos hoje no Congresso, nas relações políticas, com a reforma política”, acrescentou.
PT
O chefe do Executivo cearense também fez algumas críticas ao PT. Santana avalia que é preciso repensar “muita coisa” da formação interna da sigla. “Nós burocratizamos muito o partido”, disse. Santana defende ainda que os quadros do partido que estiverem envolvidos em atos de corrupção devem ser punidos. Questionado se, no âmbito partidário, essa punição seria a expulsão da legenda, ele desconversou e limitou-se a dizer que é preciso seguir o estatuto e as regras da sigla.
“Ninguém pode pré julgar ninguém. Esse é o grande erro hoje: sai matéria no jornal já condenando. Todo mundo tem o direito de se defender. Vou dar um exemplo. O que o deputado José Genoíno vem sofrendo depois do processo do mensalão. Uma pessoa que lutou pela redemocratização e hoje passa por isso”, afirmou.
Santana avaliou ainda que o ex-presidente Lula é uma grande reserva política do PT para concorrer a sucessão de Dilma em 2018, mas garantiu que o petista ainda não deu nenhuma sinalização de que irá concorrer.



















Via Ceará Agora

Arquivado Em :
Sobre o autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

0 comentários:

    Se você gostaria de receber nossas atualizações via RSS e-mail, basta digitar seu endereço de e-mail abaixo.

© 2013 A Pedreira. Traduzido Por: Template Para Blogspot. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9
Blogger template. Proudly Powered by Blogger.
back to top